Lucro da Caixa cresce 81,8% e resultado operacional alcança R$ 1,9 bilhão, alta de 420% em 12 meses

Julgamento do RE 966177 dos jogos de azar no STF será no dia 1º de junho
30 de maio de 2017

A Caixa Econômica Federal divulgou nesta quarta-feira (24) que registrou lucro líquido de R$ 1,5 bilhão no primeiro trimestre de 2017, com crescimento de 81,8% em relação ao mesmo período do ano passado. O resultado recorrente, que desconsidera os efeitos extraordinários, totalizou R$ 1,7 bilhão, 49,6% maior que o verificado no primeiro trimestre de 2016. O resultado operacional alcançou R$ 1,9 bilhão no trimestre, avanço de 420,0% em 12 meses.

O aumento do lucro líquido foi gerado pelo crescimento das receitas com operações de crédito, diminuição nas despesas com captação de recursos, avanço nas receitas com prestação de serviços e controle das despesas com pessoal, administrativas e operacionais. As outras despesas administrativas diminuíram 1,8% em comparação ao primeiro trimestre de 2016, reflexo de ações focadas na melhoria da eficiência operacional implementadas pela Caixa.

Caixa possui 59 mil pontos de atendimento e 86,2 milhões de clientes

O texto em que divulga o balanço do primeiro trimestre de 2017, cita que ao final de março, a Caixa possuía 86,2 milhões de correntistas e poupadores, evolução de 3,2% em 12 meses, dos quais 83,8 milhões de pessoas físicas e 2,4 milhões de pessoas jurídicas.

A rede de atendimento da CAIXA possui 59,4 mil pontos de atendimento. São 4,2 mil agências e postos de atendimento, 24,0 mil correspondentes CAIXA Aqui e lotéricos, e 31,1 mil máquinas distribuídas nos postos e salas de autoatendimento.

Comento: tapa na cara dos lotéricos

Não existe nenhum problema no fato da Caixa ter registrado um lucro líquido de R$ 1,5 bilhão no primeiro trimestre de 2017, pelo contrário. É louvável, pois demonstra que os profissionais estão trabalhando com muita competência na geração do banco público.

Mas depois da postura levemente ‘contrária e reflexiva’ a aprovação do PL 7306/17 manifestada pela superintendente Nacional de Canais e Distribuição da Caixa Econômica Federal, Tatiana Gobbi na audiência pública desta terça-feira, a divulgação da performance lucrativa da Caixa soa como um tapa na cara dos lotéricos.

Á Coluna, um empresário lotérico que estava no auditório Nereu Ramos participando da audiência pública, comentou indignado sobre os comentários da dirigente da Caixa.

“Essa funcionária da Caixa que disse durante a audiência pública se o projeto de lei for aprovado pode ser um tiro no pé dos empresários, pois as empresas podem não querer utilizar mais a rede lotérica em virtude do aumento das tarifas proposto, mente e tenta chantagear a rede com essa afirmação. Eles não precisam cobrar maiores tarifas das concessionárias é só dividir melhor o que já recebem, dando uma fatia ao empresário lotérico”,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *